Vinte e Um Novos Textos

Sexta, três da manhã. Sem sono resolvo colocar na web alguns textos e contos que escrevi ao longo de vários anos. No total são vinte e um textos sendo que a maioria são contos que eu já havia publicado no Anjos de Prata.

Gosto de vários deles, especialmente de Almas Gêmeas, pela amizade entre um espelho e um homem, ao longo de sua vida; Animal Freedom, por ser vegetariano e o conto trazer um forte apelo a este respeito; As Doze Badaladas, por ter um final surpreendente; Beijo na Boca Não, por contar a história de uma puta do interior; Angélica e a Borboleta, por despertar um interesse grande na Internet, entre meninas que gostariam de fazer uma tatuagem de borboleta; Carranca e a Caixa de Sapatos, por se basear numa história de infância do meu tio Adelmo; Carta ao Meu Filho, por ser a primeira carta que escrevi para o meu filho, quando ele tinha sete meses de idade; Visão Eterna, Máscara de Luz e Despertar, por serem uma continuação e por contar a história de um louco que retalhava as pessoas; Pedra da Lua, por ser o meu primeiro conto que publiquei no Anjos de Prata e por brincar com a idéia de que o homem não pousou realmente na Lua; Prazer Azul, por ser um suspense erótico e ter um jogo de falas e pensamentos; R.E.I, por levar um exterminador de insetos futurista para o meio da Avenida Paulista, no MASP; Silêncio, por ser uma poesia pequena sobre um tema que sempre me faz pensar; Voe, Surfe e Salte, por falar de esportes, uma das coisas que mais gosto de fazer na vida.

E tem também um inédito: Minhas Cicatrizes, falando das cicatrizes que tenho pelo corpo. Este foi escrito em uma surf trip muito boa que fiz no ano passado, em Floripa.

Enjoy!

Technorati tags:
, , , , , , , , , , , , , , , , .

This entry was posted in Escrita. Bookmark the permalink.

One Response to Vinte e Um Novos Textos

  1. Avi Alkalay says:

    Legal Rodrigo.
    Eu tb categorizei todos os meus artigos e apresentações. Até transformei-os em blogadas, já que fica mais bonito e dá pra comentar cada um deles.

    Não sei por que cargas d’água comecei esse negócio de blog com o Blogger, que não suporta categorias, e fiz uns malabarismos pra usar o del.icio.us pra categorizar. Tarde demais pra mudar e agora fico esperando a nova versão do Blogger, que está para sair, e categorizar as coisas. Fica mais fácil pra navegar, e por isso cheguei aqui 🙂

    Cadê aquele da Revista do Linux em que você se sentia iluminado ?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *