Você Já Escolheu o Seu Coveiro Digital?

April 4, 2008 on 10:38 pm | In LifeHack, Produtividade, To Think | 11 Comments

- Você já escolheu o seu Coveiro Digital?
- Hã, Coveiro Digital?
- É, isso mesmo! O Coveiro é aquela pessoa que cuidará do seu legado digital quando você morrer!
- Ixi, mas quem disse que eu preciso disso?
- Hmm, olha só, vou te contar uma coisinha: todos morreremos um dia…

Coveiro e EsposaJá viu quantas toneladas de bytes você produziu nestas décadas de vida? São documentos, fotos, emails, receitas, leituras, planilhas e tantas outras coisas que provavelmente só se lembra de 10% delas.

Quantas aventuras você e seus dados digitais já passaram juntos?

Agora, imagine que tudo o que produziu pode ficar perdido para sempre se você morrer amanhã e ninguém se prontificar a cavar fundo no seu computador e descobrir o que mantinha guardado por lá a tanto tempo. Fotos e mais fotos, emails de uma vida inteira, tudo perdido! Agora aquela foto do seu filho não é mais uma foto, mas só um punhado de bytes num espaço esquecido do disco, que vai ser apagado quando seu sobrinho ranhento e babão herdar o seu computador. :-(

Pensando nisso descobri que tinha que fazer alguma coisa e foi aí que me surgiu o conceito do Coveiro Digital.

Quem é o Coveiro Digital?
O Coveiro Digital é algum amigo ou amiga que tem conhecimentos de informática semelhantes aos seus. Afinal, estamos atrás de uma pessoa que não seja tão leiga na arte dos bits e bytes quanto o resto de sua família!

Coveiro

O Coveiro é aquela pessoa que pode pegar um papel com alguns sites e senhas e destrinchar o emaranhado de dados que um dia foram produzidos por você, organizando-os de uma maneira mais ou menos clara e deixando-os disponíveis para seus entes queridos de uma maneira fácil de achar. Assim você ficará feliz no lugar onde está e sua família poderá seguir em frente, sem perder aquela foto incrível que foi tirada no natal passado!

Passos para um bom Funeral Digital
Seguem os passos essenciais para garantir a manutenção do seu legado digital. É claro que mais detalhes podem (e vão) ser incluídos à medida que o conceito evoluir.

A Morte

Escolha do Coveiro Digital
Como falado acima, escolher um bom Coveiro Digital é fundamental. Escolha alguém que você tem um bom relacionamento e possua ótimos conhecimentos de informática. Além disso a pessoa tem que ser equilibrada e responsável. Ninguém vai querer como um Coveiro Digital aquele primo que só vive na Lan House e acha que dá para recuperar os dados do seu notebook na semana que vem.

Tem que ser alguém que tenha apreço por você, e que fará o trabalho necessário pela admiração e respeito que tem por sua pessoa.

Escolheu? Agora Convide-o!
Depois de escolher a pessoa, faça o convite! Lembre-se, como esta é uma tarefa de responsabilidade e trabalho, nem sempre o escolhido aceitará o seu convite.

Convite Aceito? Divulgue!
De nada adianta ter um Coveiro Digital se sua família ou seus amigos não souberem quem é essa pessoa ou as suas intenções de preservar a memória digital da sua vida. Por isso divulgue de maneira irrestrita o conceito e a pessoa que será o seu Coveiro Digital. Fale porque isso é importante e espalhe a notícia. Pode ser no seu blog, nos encontros da família ou no papo informal com os amigos no bar. Afinal, eles também precisam de um Coveiro! Se quiser faça um post no seu blog apontando para este artigo. Com as contribuições dos leitores vou aprimorar este post à medida que elas aparecerem.

Como eu já pensei nisso a algum tempo, divulgo aqui que o meu Coveiro Digital é o meu amigo Aurélio Marinho Jargas. Ele aceitou de pronto e confio nele totalmente para a tarefa de organizar e dar um destino ao meu legado digital. Obrigado amigo! Só não jogue minhas cinzas em uma latinha de lixo. Pode ser de uma montanha, ao vento! :-)

Faça a Sua Lição de Casa
Agora não se esqueça de fazer a sua lição de casa! Não adianta simplesmente morrer e esperar que o Coveiro tenha algum sucesso. Facilite a vida dele!

Faça pelo menos um documento contendo os seus nomes de usuários e senhas para cada entidade digital que deseja preservar. Esta entidade pode ser os seus computadores, contas de email, de comunidades virtuais, fóruns, e tudo o mais que você ache pertinente. Faça uma tabela contendo local, usuário e senha. Isso já será de grande valia para os buracos que o Coveiro terá que abrir no seu universo digital. No mínimo registre o seu nome de usuário dos principais sites. Como eles normalmente têm um serviço de recuperação de senhas, fica mais fácil garantir o acesso a estes serviços. Mas lembre-se de passar seus emails vinculados a estes sites. :-)

Caminho Sem VoltaGuarde este documento em um local super-hiper-seguro e avise para a pessoa de sua família que você mais confia. De preferência avise para duas pessoas! Elas serão as responsáveis a passar o documento para a mão do Coveiro Digital quando você morrer.

O documento pode ser real ou digital, mas neste caso ainda defendo o formato real (físico) pois os conhecimentos de técnicas de encriptação da família média ainda estão longe do ideal. Se você tiver um cofre em casa, guarde-o lá. Caso contrário escolha um lugar que não possa ser facilmente descoberto por estranhos. Lembre-se, esta é a sua passagem para a imortalidade :-)

Depois de fornecer os dados para adentrar ao seu mundo digital, pense no que você gostaria que fosse feito com eles. Você pode fazer outro documento, este endereçado, ainda em vida, ao seu Coveiro. Ali você explica o que deseja que seja feito e o encaminhamento de cada coisa; uma espécie de testamento digital. Um exemplo poderia ser: “quero que todas as minhas fotos sejam gravadas em DVD e distribuídas para a minha esposa, filhos, irmã e tia”. Outra coisa poderia ser: “Envie um comunicado sobre a minha morte para cada endereço de email cadastrado no meu banco de dados, e também faça um post no meu blog, no twitter, no orkut e no fotolog”. O do fotolog poderia ser uma foto do caixão :-)

Aqui a imaginação é o que conta. Você pode gravar um vídeo para ser exibido postumamente, divulgado pelo youtube (é claro!), ou escrever uma carta para ser publicada no seu blog depois que morrer. Pense bem e implemente o que mais lhe convier. Afinal, a morte é sua! :-)

O que o Coveiro Digital Deve Fazer
O Coveiro também tem suas atribuições para que a passagem digital do amigo seja a melhor possível. Vejamos algumas:

  • Pegue o documento que recebeu e acesse todas as contas e computadores do finado
  • Se você recebeu também uma carta de sugestões, leia-a e veja o que seu amigo deseja
  • Faça uma análise de todo o conteúdo digital do seu amigo, seja de computadores ou sites
  • Faça um backup de tudo o que puder antes de começar os trabalhos
  • Dados familiares, como fotos, devem ter tratamento especial. Faça pelo menos duas cópias em DVDs de boa qualidade e entregue ao responsável da família. Guarda uma cópia com você, pois daqui a alguns anos eles podem pedi-las novamente. :-)
  • Faça um relatório do que encontrou, dando sugestões do que acha que deveria ser feito
  • Aguarde o retorno da família e proceda conforme combinado para fazer com o resto dos dados.

Ganhos Digitais Monetários
Com a proliferação de maneiras de se ganhar dinheiro honesto virtualmente, como o adsense, fica ainda mais sério a história de alguém dar algum tipo de continuidade ao que você produziu até o momento. Um site com anúncios, pelo menos a curto prazo, não vai deixar de gerar receita, depois da morte do seu dono. Neste caso vale a pesquisa em cada tipo de negócio para ver a viabilidade de se repassar este ganho para outra pessoa.

No caso do adsense, ainda hoje, é meio complicado passar a titularidade de uma conta. O que poderia ser feito é criar uma conta nova para o responsável da família e mudar o id de cada anúncio veiculado no site do falecido. Pelo menos isso seria uma forma rápida e eficiente de garantir a continuidade e o recebimento dos rendimentos provenientes deste tipo de negócio. É claro que existem impedimentos legais, inventários, mas pelo menos esta é uma maneira real e rápida de resolver a situação.

Outros serviços podem ter situações diferentes. É bom consultar cada um deles e ver como funcionam.

Não recomendo incluir no seu documento de senhas as contas de banco. Isso já é um serviço bem difundido e que qualquer esposa/marido pode resolver sozinho. Só não esqueça de passar estes dados para eles!

Post Mortem
Todos precisamos de um Coveiro Digital. Não espere muito e arranje logo o seu; você pode precisar dele mais rápido do que imagina! :-)

11 Comments »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Pois é… mas se o coveiro morrer primeiro ? :P
    Hahahaha.

    Comment by Diogo — April 4, 2008 #

  2. Daí você pega o segundo coveiro da fila! :-)

    Falando nisso, viajar junto com o seu coveiro, só em aviões separados!! :-)

    Comment by Rodrigo Stulzer — April 4, 2008 #

  3. Você Já Escolheu o Seu Coveiro Digital? | Empirical Empire…

    Já que você vai morrer um dia, que tal preservar todo o conteúdo digital que criou?…

    Trackback by Rodrigo via Rec6 — April 4, 2008 #

  4. Isso aí Rodrigo!

    É estranho falar sobre o assunto, mas fico mais tranqüilo sabendo que você vai cuidar dos meus bits caso o pior aconteça.

    Mas o que eu quero MESMO, é que quando essa hora chegar, nós já estejamos libertos dessa tal de informática :)

    Comment by Aurélio — April 4, 2008 #

  5. Eu não tenho um coveiro digital porque sempre pensei que me chamariam de louco! Mas já deixei instruções sobre “o desejo” caso algo aconteça: rsync de todos os meus discos num ftp público com listagem aberta. Acho até que já viajei umas 3 vezes e nessas deixei senhas e usuários em um papel, pro caso de alguém chegar em casa após um acidente e ter que seguir “procedimentos”

    Macabro, mas faz sentido! :-D

    Comment by caio1982 — April 5, 2008 #

  6. Eu já tava pensando nisso, mas não tomava nenhuma atitude quanto a isso ainda (sabe como é, ficar listando TODAS as contas que tem dá uma preguiça…rs). Depois de ler seu post, me animou para tomar as devidas providências!
    Aliás, quando escolher o coveiro digital (já tenho em mente), postarei um link para esse post, aliás, foi você que me inspirou a tomar essa atitude! :D

    Comment by giseli — April 5, 2008 #

  7. Muito boa essa, confesso que eu já pensei nisso, no mau sentido é claro, mas isso é uma outra historia.

    xD

    Comment by Adriano — April 6, 2008 #

  8. hahhahaha… adorei a idéia! Temo, ralamente, que tomar cuidado dos nossos querido bytes!

    Comment by Marília — April 6, 2008 #

  9. É já vou providenciar o meu coveiro tambem porque ninguem sabe o dia de amanhã!

    Comment by Maycon — July 3, 2009 #

  10. Pois é, escrever um artigo destes a principio pode ser macabro a quem não pensa no dia de amanhã, mas a gestão de seus dados é tão e qual importante quanto é a de seu patrimônio real. Pense nisso.

    Comment by Mauro — July 12, 2009 #

  11. Demorou mas saiu o coveiro digital virtual: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/05/sites-oferecem-servico-para-lidar-com-perfis-e-senhas-em-caso-de-morte.html :-D

    Comment by andreyev — May 30, 2011 #

Leave a comment

XHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Powered by WordPress with Pool theme design by Borja Fernandez.
Entries and comments feeds. Valid XHTML and CSS. ^Top^