Watchmen: Fiel Demais aos Quadrinhos?

Eu sou leitor de quadrinhos desde criança. Virei colecionador sério a partir dos 12 anos de idade, quando comecei a comprar tudo o que saía de quadrinhos de super-heróis no Brasil. E quando digo tudo, é tudo mesmo! Isso foi por volta de 1983.

Eu peguei uma época muito boa de lançamentos de quadrinhos clássicos, como o Cavaleiro das Trevas, Sandman, o início das Graphic Novels e tantos outros que me deliciaram na minha adolescência.

Em 1986/87 começaram rumores sobre uma graphic novel que prometia muito: Watchmen, escrita pelo deus-vivo Alan Moore. Ele já havia feito maravilhas com o Monstro do Pântano e V de Vingança.

O primeiro número de Watchmen lançado aqui no Brasil foi feito pela Editora Abril, em novembro de 1988. Uma graphic novel em 6 edições, que guardo até hoje, praticamente igual ao dia que comprei, fora um ou outro ponto de bolor.

A história dos quadrinhos é fantástica, te prende, fazendo um mergulho num universo onde a hipótese era sobre o que aconteceria se existissem mesmo super-heróis combatentes do crime.

Ontem eu vi Watchmen, o filme.

Minha avaliação é ambígua. Aquilo é Watchmen, mas parece ser Watchmen demais.  Cópia demais.

O filme não é ruim, ainda mais para fãs do quadrinho original, é bom no que se propôs a fazer, isto é, uma cópia exata dos quadrinhos.

Mas acho que preferia que tivesse sido adaptado, ou ainda ter ficado só na memória da minha mente de 20 anos atrás, quando li a história pela primeira vez, em novembro de 1988, com 17 anos de idade.

Mas também não acho que seja saudosismo dos tempos de adolescente, pois a história continua boa até hoje. E muita gente conheceu a história depois, nas mais variadas idades. Acho que ficou igual demais, perfeito demais. O Liber já havia falado algo parecido. Também não sei como o público leigo irá receber o filme. Será que vão achar uma babaquice só ou algo interessante?

Há, e claro que não foram felizes na escolha do Ozymandias. O resto ficou muito bom.

Mesmo assim vão ver, não tem como ter lido o gibi e não querer ver o filme.

E bora ler de novo os quadrinhos.

This entry was posted in Cinema, Entretenimento, Quadrinhos. Bookmark the permalink.

5 Responses to Watchmen: Fiel Demais aos Quadrinhos?

  1. Felipe says:

    Minha cópia de Watchmen chegou ontem da Amazon. Vou tentar ler as 400 páginas de quadrinhos antes de ir ao cinema. 🙂

  2. Leonardo Luis Soares says:

    É um problema.

    Geralmente a gente reclama das adaptações de quadrinhos e jogos porque eles são fiéis “de menos” ao original.

    Um dos grandes méritos, à longo prazo, de Watchmen é justmaente mostrar o outro lado da moeda. Também era (in fact, continuo sendo) fã dos quadrinhos de Watchmen desde a última edição (se não me engano, 1998), e particularmente falando, adorei o filme, mas… é muito igual..

    A transposição dos hqs/games para o cinema é um assunto bastante controvérso, pois dificilmente agradará os fãs xiitas do mesmo modo que o público que não é tão fã assim, mas é uma grande oportunidade de AGREGAR algo à história que já foi contada.

    De qualquer forma, reforço a dica: LEIAM A HQ. VEJAM O FILME. TIREM SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

    Abraços.

  3. Oi Leonardo.

    É verdade, “de menos” já sabemos que é ruim. Agora começamos a questionar também o “de mais”. 🙂

  4. Giovanna says:

    Ro quando eu for ai na sua casa posso ler os quadrinhos? .___.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *